Marketplace

 

Olá amigo(a), tudo bem contigo?

Hoje, em como começar um negócio, falarei sobre marketplace.

Se você já fez compra pela internet em “uma grande loja”, provavelmente você fez a compra do seu produto de um marketplace.

Vamos ver o que é isto, então!

 

O que é Marketplace?

Marketplace é tido como um shopping center virtual, na qual grandes variedades de lojas são demonstradas neste.

Para o cliente é bem interessante, é como se ele tivesse “indo num shopping”, só que virtual. Nos marketplaces, o “visitante” tem uma variedade de opções de lojas e produtos, e com preços competitivos, ainda mais se várias lojas venderem o mesmo produto.

 

O que é marketplace online?

É um espaço virtual (na internet) na qual empresas e/ou pessoas físicas possam oferecer os seus produtos ou serviços para vendas.

Com isto, os consumidores acessam esta plataforma disponível para realizar as suas compras. Ou seja, é um espaço destinado aos negócios.

 

Qual a diferença entre Marketplace e e-Marketplace?

Bom, amigo(a).

Antes de citar a diferença, vamos ao significado da palavra marketplace.

É uma palavra inglesa, na qual há a junção de dois significados, a saber: market (mercado) e place (local). Ou sendo, significa mercado local.

Bem, quando este termo foi criado, era para designar um local físico, na qual as pessoas se encontravam para oferecer os seus produtos ou serviços para os possíveis compradores, caracterizando um centro comercial. Lógico, nesta época ainda não existia a internet.

 

E o e-marketplace é uma variação do marketplace tradicional. Só que este (o e-marketplace) é adaptado para os dias atuais, em utilizar as plataformas especificas na internet para realizarem as suas vendas.

 

 

 

E entre marketplaces e e-commerces, quais as diferenças?

Sim amigo(a), há diferenças entre os dois. Vamos citar algumas delas:

  • Em formato da receita. Para o e-commerce, é baseado nas compras e vendas de produtos. No marketplace, ele só faz a intermediação da operação do negócio;
  • No preço do produto. No e-commerce, é definido pelo próprio e-commerce, enquanto que no marketplace é definido pelo fornecedor;
  • Em relação a logística. No e-commerce segue o trajeto: fornecedor, varejista e cliente. No marketplace segue o roteiro mais direto, entre fornecedor e cliente;
  • No estoque. No e-commerce é centralizado, enquanto que, no marketplace é descentralizado.

 

Em relação ao estoque, essa é uma das maiores diferenças entre os 2 modelos. Pois, o e-commerce tem que arcar com o custo de repor e despachar as mercadorias. Enquanto que o marketplace não tem estoque próprio.

O empreendedor do e-commerce também “sofre” em ter que utilizar o fluxo de caixa não só para reposição de estoque, mas também para cobrir custos fixos do negócio e folha de pagamento dos colaboradores, dentre outros.

 

Além de outras diferenças inerentes aos 2 formatos de negócios, podemos dizer que para o empreendedor que montar um marketplace, ele tem a possibilidade de ter outros marketplaces, devido a ele não ter uma estrutura física para arcar, e com isto os custos são menores.

Enquanto que, o empreendedor de um e-commerce dificilmente terá outro, pois ele terá um elevado custo fixo e diversos outros para montar e administrar toda a sua estrutura física.

 

 

Quais são as vantagens e desvantagens em ter um marketplace?

Oi amigo(a), vamos começar pelas vantagens, ok?

 

Vantagens

  • 01) Ter visibilidade.

O e-commerce que estiver demonstrando os seus produtos dentro de um marketplace, terá uma vantagem em não ter que investir para divulgação do seu produto, pois o marketplace por ter uma grande credibilidade com seus clientes acaba tendo uma grande quantidade de acesos. Com isto, os visitantes não demonstram medo de comprarem nas lojas dentro da plataforma;

 

  • 02) Economia em marketing, tecnologia e mídia.

Devido o marketplace ter o seu modelo já com uma grande divulgação, os lojistas que tiverem seus produtos expostos nesta “vitrine’, tem o seu custo de marketing reduzido, pelo próprio marketplace ter uma grande visibilidade. Com isto, o lojista só tem que ver o que foi acordado com o marketplace, os valores que ele tem que pagar;

 

  •  03)  Tráfego e visitação.

Devido a grande exposição das plataformas de marketplace, as lojas em exposição acabam recebendo grandes visitações devido ao grande tráfego na plataforma;

 

  • 04) Aumento de vendas.

Devido aos fatores citados anteriormente, as lojas dentro das plataformas possuem um potencial em aumentar as suas vendas, não ficando só nas vendas em si do seu e-commerce diretamente.

 

  • 05) Elevação do negócio e mais público.

Com a sua loja exposta dentro do marketplace, ocorre um aumento exponencial de novos clientes conhecerem os seus produtos. E se os consumidores gostarem dos seus produtos, é bem possível que ele torne se um cliente diretamente do seu site também, ocorrendo com isso, uma ampliação do seu negócio.

 

 

Bem amigo(a), citei as principais vantagens.

Como a “moeda possui dois lados”, vamos citar algumas desvantagens agora.

 

 

Desvantagens

  • 01) Marca

Geralmente, a marca do seu produto fica pouco lembrada na mente do cliente que compra numa marketplace, o cliente muitas vezes associa a marca com o nome da plataforma;

 

  • 02) Só depender da plataforma.

Se o lojista não tem o seu próprio e-commerce para vender os seus produtos, caso a plataforma do marketplace saia do mercado ou o próprio lojista saia da plataforma por outros motivos, ele ficará sem canal virtual nenhum, para expor e vender os seus produtos;

 

  • 03) Aumento dos custos com a plataforma.

O lojista pode ter que se enquadrar com o aumento das taxas e comissões cobrados pela plataforma. Se o lojista, por acaso, não tiver o seu e-commerce, ele poderá ficar “refém” desta elevação dos custos.

 

 

 

B’s e C’s…

Os e-marketplaces podem ser os intermediadores entre negócios nos seguintes formatos:

 

  • Business to Business.

Negócios entre empresas;

 

  • Business to Consumer.

Entre empresas e consumidores;

 

  • Consumer to Consumer.

Consumidores com consumidores;

 

  • Business to Government.

Empresas com governo;

 

  • Government to Citizen.

Governo com cidadão.

 

 

 

Exemplos de marketplaces nacionais e internacionais

Ok amigo(a). Vamos citar alguns grandes marketplaces nacionais, incluindo alguns GIGANTES!

Vamos a lista!

 

 

Marketplaces nacionais

 

  • MERCADO LIVRE.

O mais tradicional e de maior acesso marketplace da América Latina;

 

  • B2W

Engloba os canais: Americanas, Shoptime, Submarino;

 

  • CNOVA

Os e-commerces Casas Bahia, Extra e Ponto Frio, estão englobados nesta plataforma;

 

  • ELO7

Este marketplace possui mais de 04 milhões de visualizações ao mês;

 

  • NETSHOES

É apontado como o maior e-commerce de artigos esportivos no mundo;

 

  • DAFITI

Voltado a marcas ligadas a moda;

 

  • MAGAZINE LUIZA.

Essa gigante do varejo em eletro eletrônicos e outros segmentos, também tem o seu marketplace.

 

 

Citei alguns exemplos, amigo(a), de marketplaces aqui do Brasil. Vamos há alguns exemplos de marketplaces internacionais. Vamos lá?

 

 

Marketplaces internacionais

 

  • AMAZON (está entre os maiores marketplaces do mundo):
  • EBAY;
  • ETSY;
  • ALIBABA;
  • AIRBNB;
  • UBER;
  • UPWORK.

 

 

 Muito obrigado amigo(a), por acompanhar esta leitura até aqui.

Como de praxe, vou deixar abaixo alguns links de sites relevantes com o tema.

 

Obrigado e VOLTE SEMPRE!

 

Consulte também:

Universo Marketplace – Olist (empresa especializada em marketplace)

Marketplace Brasil

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *